Clínicas em Bangladesh tratam refugiadas vítimas de crimes sexuais

Com o aumento de refugiados que atravessaram a fronteira de Mianmar para Bangladesh fugindo do massacre no país, desde agosto, mais de 1 milhão de Rohingyas estão agora em acampamentos improvisados e sob tratamento. 
Com o aumento de refugiados que atravessaram a fronteira de Mianmar para Bangladesh fugindo do massacre no país, desde agosto, mais de 1 milhão de Rohingyas estão agora em acampamentos improvisados e sob tratamento. Eles se estabeleceram na região de Cox's Bazar. Já foram mais de 67 mil pacientes tratados na região pela organização humanitária Médios Sem Fronteiras. Os refugiados  chegam ao local extremamente violentados, com queimaduras, mutilações, ferimentos de tiros e também vítimas de abusos sexuais. De agosto a novembro, MSF cuidou de 84 mulheres e meninas sobreviventes de crimes sexuais na clínica de Kutupalong; 73 dos casos envolveram estupro. Mais de 90% sofreram a violência em Mianmar, e 50% têm menos de 18 anos, incluindo várias menores de dez anos. A organização acredita que os casos são apenas uma fração do número real de Rohingyas atacadas sexualmente*Texto Andrea Miramontes
Eles se estabeleceram na região de Cox's Bazar. Já foram mais de 67 mil pacientes tratados na região pela organização humanitária Médios Sem Fronteiras. Os refugiados  chegam ao local extremamente violentados, com queimaduras, mutilações, ferimentos de tiros e também vítimas de abusos sexuais. 
De acordo com a MSF, as mulheres que sofrem violência sexual muitas vezes relutam em buscar ajuda médica devido a uma série de fatores, incluindo a vergonha e falta de conhecimento sobre o suporte médico e psicológico disponível e a incerteza sobre o que acontecerá 
De agosto a novembro, MSF cuidou de 84 mulheres e meninas sobreviventes de crimes sexuais na clínica de Kutupalong; 73 dos casos envolveram estupro. 
As principais enfermidades apresentadas por esses pacientes são infecções do trato respiratório, diarreias e desnutrição infantil
Mais de 90% sofreram a violência em Mianmar, e 50% têm menos de 18 anos, incluindo várias menores de dez anos. A organização acredita que os casos são apenas uma fração do número real de Rohingyas atacadas sexualmente
*Texto Andrea Miramontes
O número de casos suspeitos de sarampo aumentou nos acampamentos nas últimas semanas, sendo que chegaram cerca de 20 pacientes graves por dia

Foto: ReutersReuters/Susana Vera

Clínicas em Bangladesh tratam refugiadas vítimas de crimes sexuais

Marcadores:

Postar um comentário

[disqus]

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.