Apenas 5% da população brasileira fala inglês. Por quê?

O inglês é um idioma universal. Pessoas que o dominam podem visitar dezenas de países ao redor de todo o mundo e ainda assim conseguir se ...

O inglês é um idioma universal. Pessoas que o dominam podem visitar dezenas de países ao redor de todo o mundo e ainda assim conseguir se comunicar, ainda que essa não seja a língua oficial utilizada nestes locais.


Porém, mesmo com esse prestígio e a grande quantidade de lugares em que ele é utilizado, o Brasil ainda não apresenta os melhores níveis.


Um levantamento da British Council mostrou que apenas 5% da população brasileira sabe se comunicar em inglês, ou seja, 10,425 milhões dos mais de 208 milhões de habitantes.


Vamos entender melhor como é a proficiência dos brasileiros, bem como os motivos que levam o país a apresentar tais números, mesmo com sua importância internacional e o fato de o idioma ser ensinado nas escolas, e o que pode ser feito para melhorar a situação.


Domínio do inglês em números


Além da estatística que vimos anteriormente, outras também chamam a atenção e ajudam a entender melhor o nível de proficiência observado no país. Confira a seguir, com as respectivas fontes dos dados:


- O Brasil foi o 41º colocado no ranking de fluência de inglês, atrás de outros países da América Latina, como México, Peru e Equador. (British Council)


- Em outro ranking de países que falam inglês, feito com 1 milhão de adultos que não o têm como idioma nativo, o Brasil também ocupou a 41ª posição, atrás de Lituânia, Vietnã, Costa Rica, Indonésia e Taiwan. (English First)


- O nível de domínio do inglês que o brasileiro afirma ter costuma ser maior que a realidade. De 37.389 candidatos em 12 estados brasileiros que afirmaram ter inglês avançado ou fluente para escrita e leitura, provou-se, depois de um teste de proficiência, que apenas 36% podem se classificar assim, ou seja, menos de 21 mil candidatos. (Vagas.com)


- Colaboradores de empresas multinacionais no Brasil não fogem dos números. 108 mil trabalhadores de 76 países foram entrevistados para fazer um teste de inglês, e os 13 mil brasileiros que o realizaram tiraram uma nota média de 2,95 do total de 10,0, o que colocou o país na 67ª posição. (GlobalEnglish).


Como os números indicam, ainda há um longo caminho a ser percorrido para que o inglês esteja presente entre os conhecimentos dos brasileiros, o que certamente pode abrir oportunidades profissionais, acadêmicas e pessoais ao longo da vida.


Quais são os motivos que levam o Brasil a apresentar tais números?


Dois fatores importantes são a baixa quantidade do ensino do idioma nas escolas e a não obrigatoriedade de seu ensino antigamente.


Baixa quantidade de ensino


A quantidade de aulas de inglês ministradas nas escolas públicas, frequentadas pela maioria da população, não é a suficiente para se obter um bom nível de aprendizado.


O Common European Framework of References for Languages (CEF) é um documento interessante utilizado para descrever as conquistas de estudantes de línguas estrangeiras na Europa e em outros países.


O CEF também é usado para avaliar os níveis de aprendizado de cada língua e, assim, classificar os alunos de acordo com sua experiência. No inglês, de acordo com a Cambridge English Language Assessment, cada nível corresponde ao seguinte número de horas estudadas:


- A2 (pré-intermediário): 180-200


- B1 (intermediário): 350-400


- B2 (pós-intermediário): 500-600


- C1 (avançado): 700-800


- C2 (proficiente e acima): 1.000-1.200


Ao considerar que as escolas públicas costumam ministrar duas aulas de inglês por semana, são 100 minutos semanais. O período escolar costuma começar no início de fevereiro e terminar no meio de dezembro, ou seja, há em média 38 semanas, descontando as férias de julho e feriados.


Isso resulta em 3.800 minutos de aulas de inglês por ano, ou seja, pouco mais de 63 horas anuais. Do 6º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio, são 7 anos de aulas, logo, 443 horas de estudo, nível entre o intermediário e o pós-intermediário.


Porém, essa avaliação é feita para um ensino contínuo, o que nem sempre se aplica nas escolas públicas. Dessa forma, mesmo todo o aprendizado do ensino fundamental e médio pode não ser suficiente para dominar o inglês.


Não obrigatoriedade de ensino


As duas primeiras versões da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, datadas de 1961 e 1971, não incluíram as línguas estrangeiras modernas no currículo escolar, que na época compreendia português, matemática, ciências, história e geografia.


Até então, era responsabilidade dos Conselhos Estaduais decidir o ensino de línguas estrangeiras. Porém, em 1996, o 1º e 2º graus foram substituídos pelo ensino fundamental e médio, além de outra mudança importante, que foi a obrigatoriedade de ensinar uma língua estrangeira no ensino fundamental, embora a escolha ainda fosse de responsabilidade das escolas.


No ensino médio, a mudança tinha sido para a obrigação do ensino de uma língua estrangeira moderna, além da possibilidade de uma segunda língua optativa, embora essas não tenham sido definidas.


Foi só com a reforma do ensino médio, sancionada em 16 de fevereiro de 2017, que o inglês se tornou matéria obrigatória a partir do 6º ano do ensino fundamental (correspondente à antiga 5ª série). Antes disso, as escolas poderiam escolher entre inglês e espanhol.


O objetivo desta medida é aproximar os alunos brasileiros da realidade encontrada no mercado, onde o inglês já não é mais um diferencial tão importante quanto antes, passando agora a figurar como exigência para o preenchimento de diversas vagas.


Logo, as pessoas que estudaram nos períodos em que o ensino de inglês não era obrigatório podem não ter tido contato com o idioma, o que por sua vez influenciou em sua vida profissional e acadêmica, bem como nos resultados dos testes aos quais possivelmente foram submetidos, como as pesquisas vistas anteriormente.


Como será o futuro do ensino de inglês no Brasil?


As medidas propostas pela reforma do ensino médio podem ajudar no contato dos brasileiros com a língua inglesa, mas isso nem sempre será suficiente para ter um conhecimento completo sobre o assunto, o qual pode ser complementado com cursos de idiomas.


Essa movimentação do governo é um bom indicativo, já que está alinhada às necessidades do mercado, onde o inglês é praticamente obrigatório para conseguir uma boa colocação profissional.


A globalização que se observa em todo o mundo também pode servir como incentivo para aumentar o interesse pelos estudos de inglês, ainda mais com a tecnologia disponível atualmente, que pode aproximar a população do idioma.


Hoje em dia, trabalhar em uma empresa de tradução é uma oportunidade para uma parcela limitada da população, que teve a possibilidade de investir no estudo de idiomas ao longo de sua carreira.


Quem sabe, em um futuro próximo, o número de candidatos aptos a preencher tais vagas seja maior e os níveis de conhecimento do inglês também aumentem, o que seria benéfico a todas as partes.

COMENTÁRIOS

Nome

Agronegocio,6,Bahia,26,Barreiras,39,Boa noticia,3,Brasil,47,Celebridades,1,Cinema,2,Economia,5,Educação,3,Entretenimento,5,Esportes,22,famosos,35,Festas,2,governo,10,Humor,2,internacional,27,Irecê,5,justiçá,43,Livros,2,Mundo,2,municípios,20,Oportunidades,3,Polemica,11,Polemicas,13,policia,11,Politica,149,Religião,7,Salvador,2,Saúde&Bem Estar,7,Saúde&Bem-Estar,1,Saude&BemEstar,5,Tecnologia,19,Tragedia,19,Turismo,4,Videos,17,
ltr
item
Veja Oeste | O Seu Portal de Notícias do Oeste: Apenas 5% da população brasileira fala inglês. Por quê?
Apenas 5% da população brasileira fala inglês. Por quê?
https://2.bp.blogspot.com/-8bphzlUFjFo/XMSCUQunVhI/AAAAAAAABRE/JCslKJ8Y1Hc58IieSpAt4fJg0pbI6CrQACLcBGAs/s1600/c3vrt8m5d56v7ucm5lp8za1ec-615x385.jpg
https://2.bp.blogspot.com/-8bphzlUFjFo/XMSCUQunVhI/AAAAAAAABRE/JCslKJ8Y1Hc58IieSpAt4fJg0pbI6CrQACLcBGAs/s72-c/c3vrt8m5d56v7ucm5lp8za1ec-615x385.jpg
Veja Oeste | O Seu Portal de Notícias do Oeste
http://www.vejaoeste.com.br/2019/05/apenas-5-da-populacao-brasileira-fala.html
http://www.vejaoeste.com.br/
http://www.vejaoeste.com.br/
http://www.vejaoeste.com.br/2019/05/apenas-5-da-populacao-brasileira-fala.html
true
8061571385870599471
UTF-8
Carregou todos os artigos Não encontrei nenhum post VER TODOS Leia Mais Resposta Cancelar resposta Deletar Por Home PAGINAS ARTIGOS Ver Todos Talvez você goste destas postagens C ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS ARTIGOS nenhum resultado. Voltar Para o Inicio Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutos atrás 1 hora atrás $$1$$ horas atrás Ontem $$1$$ dias atrás $$1$$ semanas atrás mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESTE CONTEÚDO PREMIUM ESTÁ BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhar. PASSO 2: clique no link que você compartilhou para desbloquear Copie todo o código Selecione todo o código Todos os códigos foram copiados para sua área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor, pressione [CTRL]+[C] (ou CMD+C para Mac) para copiar