Teste nas urnas eletrônicas “acha” 5 falhas, e ministro diz que não há risco

 




Presidente do TSE afirmou que erros serão corrigidos até as eleições


Nesta segunda-feira (29), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou o resultado dos testes de segurança das urnas eletrônicas para as eleições de 2022. E, de acordo com a Corte, foram encontradas cinco falhas que devem ser corrigidas até o pleito.


Os testes foram realizados durante seis dias. No total, 26 inscritos colocaram em ação 29 planos de ataque contra as urnas. Destes, 24 não conseguiram ultrapassar nenhuma barreira de segurança.


O procedimento estava previsto para terminar na sexta-feira (26), mas, a pedido da Polícia Federal (PF), foi ampliado até o sábado.


Ao comentar os resultados, o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, disse que nenhum dos ataques mostrou riscos às eleições.

– Nenhum dos ataques conseguiu ser bem-sucedido relativamente ao software da urna. […] Ninguém conseguiu invadir o sistema e oferecer risco para o resultado das eleições – afirmou.


O ministro também afirmou que o ataque realizado pela PF foi o que apresentou mais riscos.


– Eles conseguiram entrar dentro da rede do TSE, mas não conseguem chegar no sistema de votação. Ou seja, é um ataque importante que temos que encontrar mecanismos de bloquear, mas não é grave porque só consideramos grave o que tem a potencialidade de alterar o voto do eleitor. E nenhum teve essa potencialidade – explicou Barroso.


folhapolitica

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem