Divulgação/SSP)
O fato de não ser assumido como filho motivou Gabriel de Souza Lima, 22 anos, a matar Edetor Pires Vieira, 74, na cidade de Itapetinga, no Sudoeste do estado. O crime aconteceu no dia 2, mas o rapaz só foi preso na Rodoviária da cidade, na madrugada deste domingo (10). A Justiça já havia expedido um mandado de prisão contra ele.

Durante depoimento na sede da 21ª Coordenaria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), em Itapetinga, Gabriel disse que há três anos descobriu ser filho de Edetor, popularmente conhecido como Índio, e que no dia do crime foi até a residência do pai para pedir que fosse reconhecido.

Segundo a assessoria da Secretaria da Segurança Pública (SSP), ele contou sobre uma discussão e que ele deu um empurrão em Índio, derrubando-o no chão. Quando a vítima se levantou, segundo Gabriel, o ameaçou de morte. Nesse momento, o jovem pegou uma faca na cozinha e acertou a vítima por várias vezes.


"As equipes acompanharam as redes sociais do criminoso e sabiam da tentativa de fuga. Com auxílio das câmeras da rodoviária conseguiram prendê-lo. Bom refletirmos sobre como a sociedade está violenta. Uma discussão entre pai e filho terminar desse jeito é lamentável. E o pior é que a polícia é cobrada por estas mortes", declarou o diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), Flávio Góis. O delegado informou ainda que o jovem será encaminhado para o sistema prisional.

Fonte: Correio

Os passageiros que usam o sistema metroviário estão com problemas para utilizar o sistema, na linha 2, na manhã desta segunda-feira (11). O serviço foi interrompido no sentido rodoviária. A informação é de que um dos trens descarrilou na altura da Estação Pituaçu e por isso, o sistema foi afetado.
De acordo com relato dos passageiros, quem precisa ir para o sentido Acesso Norte ou Mussurunga está do mesmo lado da plataforma. Por causa do problema, houve um princípio de tumulto dentro da Estação Pituaçu. O sistema está sendo alternado, e cada viagem é feita em um sentido diferente. Também há relatos de que outras estações do sistema estão cheias por causa do problema.

Trem apresentou problema técnico quando ia fazer manobraDe acordo com relato de passageiros, os trens estão passando a cada 15 minutos, quando normalmente o intervalo é a cada 5 minutos. Eles foram informados que não há previsão de quando o sistema vai ser normalizado.

A assessoria da CCR Metrô Bahia, que opera o sistema informou que houve um incidente com um dos trens por volta das 4h, quando ainda não havia iniciado a operação do sistema. O trem estava se deslocando para iniciar o serviço quando apresentou um problema técnico. A empresa ainda não confirmou que houve o descarrilamento.
Problema causou tumulto na Estação Pituaçu
(Foto: Elaine Araújo/CORREIO)
Com medo, passageiros chegaram a desistir de pegar o metrô receio de descarrilar novamente. "O negócio que é novo caindo. Deve ser porque está terminando o do aeroporto", disse a passageira Josélia Santos que desembarcou na estação Flamboyat quando tomou conhecimento do ocorrido.

Os trens estão lotados da linha 2 ( Acesso Norte - Mussurunga ). "A operação comercial, com passageiros, foi iniciada às 5h, com intervalo maior entre os trens na Linha 2. Os passageiros que estão saindo da Estação Mussurunga com destino ao Acesso Norte, precisam fazer a baldeação na Estação CAB, para o destino desejado. A operação na Linha 1 segue normal desde às 5h", afirmou a CCR Metrô, em nota.

A velocidade do trem está reduzida. Lucas Oliveira, 23, estava a caminho do trabalho. "Eu cheguei já estava assim. Vou chegar atrasado no trabalho. Ainda nem avisei ao chefe, mas ele também anda de metrô", afirmou.

Usuário do metrô, o marceneiro Elias Trindade, 62, reclamou do atraso. "O metrô deveria ser um transporte a mais e não uma imposição. Onde moro (Itinga) tem um ônibus a cada trinta minutos para estação do metrô e as linhas diretas foram tiradas. Eu não tenho horário de pegar no trabalho, então não chego atraso. Mas se eu soubesse que estava assim não tinha vindo", destacou.


Fonte: Correio

Jovem negro está mais vulnerávelUma jovem negra no Brasil corre risco 2,2 vezes maior de ser morta do que uma jovem branca, segundo o relatório Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência, que será divulgado nesta segunda-feira, 11. Em 26 unidades da Federação - apenas o Paraná fica de fora -, a taxa de homicídios entre mulheres de 15 a 29 anos é maior entre as negras. Elas são ainda mais vulneráveis à violência em Estados como o Rio Grande do Norte, onde morrem 8 11 vezes mais do que as jovens brancas.

O estudo foi feito pela Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) e pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). O índice foi calculado com base na análise de dados de 304 municípios do País com mais de 100 mil habitantes. As informações utilizadas estão divididas em quatro dimensões: violência entre jovens, frequência à escola e situação de emprego, pobreza no município e desigualdade. Essa é a segunda edição do índice, que já havia sido calculado em 2015.



"A novidade é esse olhar para a questão de gênero. Mais uma vez os dados comprovam o genocídio dos jovens negros", diz Marlova Noleto, representante interina da Unesco no Brasil.

Aumento

O índice também mostra que a violência contra o jovem negro, considerando ambos os sexos, se agravou nos últimos dois anos. A primeira vez em que foi feito o estudo, em 2015, os negros - à época a faixa etária considerada era dos 12 aos 29 anos - tinham 2,5 vezes mais chance de serem assassinados do que os brancos. Nesta edição, o risco médio no País subiu para 2,7. "Houve um aumento, estatisticamente pequeno, mas muito significativo do ponto de vista social. Mostra que o Brasil não conseguiu trabalhar para reverter ou pelo menos diminuir essa situação. A violência se agravou contra esses jovens", afirma Marlova.


A situação mais preocupante é a de Alagoas, onde os jovens negros correm 12,7 vezes mais risco de serem mortos, seguida da Paraíba, onde a diferença é de 8,9 vezes. Em 24 unidades da federação, eles correm mais riscos. Apenas no Paraná a taxa de mortalidade entre brancos é superior. No Tocantins, o risco é estatisticamente semelhante e, em Roraima, não foi registrado nenhuma morte de jovem branco no período analisado, o que inviabilizou o cálculo.

Os jovens de 15 a 29 anos representam um quarto da população brasileira e estão entre as maiores vítimas de homicídios. Dados do Atlas da Violência de 2017 mostram que mais da metade das 59.080 pessoas mortas por homicídios em 2015 era jovem (54,1%). Entre as vítimas, 71% eram negras (pretas e pardas) e 92% do sexo masculino.

No relatório, Francisco de Assis Costa Filho, secretário nacional de Juventude, observa ainda que o índice é um importante instrumento de análise das condições de vida dos jovens para a formulação de políticas públicas para esse grupo. "Os resultados apresentados permitirão desenvolver ações mais direcionadas e focadas sobretudo nos jovens homens e mulheres negros, contribuindo para a redução das assimetrias de gênero e para o combate ao racismo no Brasil."

Marlova diz que os dados estão ligados a outras informações que comprovam a desigualdade. "O IBGE mostra que negros ganham 59% a menos e são 70% da população que vive em extrema pobreza. Embora a sociedade em geral diga que não há racismo no Brasil, os números mostram o contrário."

 As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Missão de premiê israelense é obter apoio diplomático
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, iniciou nesta segunda-feira (11) uma visita oficial à Bélgica, onde se reuniu com lideranças da União Europeia, e elogiou a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de seu país.
Ele ainda aproveitou para pedir que os países europeus "façam o mesmo".

"O que o presidente Trump fez foi colocar na mesa o que somos. A paz é baseada sobre o reconhecimento da realidade e Jerusalém é a capital de Israel, isso é evidente para todos. Mesmo que não tenhamos um acordo agora, isso vai acontecer no futuro: a maior parte dos países europeus transferirão as suas embaixadas para Jerusalém, reconhecendo-a como a capital de Israel", disse Netanyahu durante uma coletiva de imprensa na sede da entidade.

Por sua vez, a alta representante europeia para Segurança e Política Externa, Federica Mogherini, condenou a "inaceitável escalada de violência" no Oriente Médio, mas disse que a União Europeia seguirá as resoluções da Organização das Nações Unidas para encontrar a paz na região.

"Queremos respeitar o status internacional de Jerusalém. A União Europeia aumentará o seu trabalho para iniciar a retomada do processo de paz, também com os parceiros da região, a partir do Egito e da Jordânia, e com as duas partes, Israel e Palestina, mesmo sendo esses tempos difíceis", disse a italiana na coletiva para os jornalistas.


Ela ressaltou que o bloco mantém sua postura de que a solução do histórico conflito é baseado na fórmula dos "dois Estados", com Jerusalém "sendo capital de ambas", e "continuaremos a respeitar o acordo internacional sobre Jerusalém, até quando o status de Jerusalém seja resolvido por uma negociação entre as duas partes".

"A pior coisa que pode acontecer agora é a escalada da violência, antes de tudo nos locais sagrados, mas também na região e além. Exprimimos na maneira mais profunda nosso compromisso e apoio ao trabalho que o rei da Jordânia está fazendo como protetor dos locais sagrados", disse ainda a alta representante.

No dia 6 de dezembro, após rumores que surgiram desde a campanha presidencial, Trump tomou uma decisão unilateral e ratificou que os Estados Unidos reconhecem Jerusalém como capital de Israel. O reconhecimento culminará com a transferência da Embaixada no país de Tel Aviv para a cidade, que conta com a administração política israelense.

No entanto, a decisão não informou nada sobre a questão dos palestinos, que reivindicam a "Jerusalém Oriental" como sua capital. Nenhum país do mundo reconheceu anteriormente a questão, seguindo uma decisão da ONU.

Netanyahu fará uma série de visitas oficiais a países europeus, sendo a primeira viagem do chefe de Governo de Israel ao continente nos últimos 22 anos.

Por Ansa

om o desemprego em alta, muita gente tem recorrido ao LinkedIn para buscar oportunidades de trabalho. O site tem mais de 29 milhões de pessoas cadastradas só no Brasil (no mundo, esse número passa de 500 milhões). É importante ter um perfil no LinkedIn para ser visto e se conectar com profissionais diversos. Mas só ter um currículo na plataforma não é suficiente.

Quem não está em procura de emprego também deve utilizar a rede para se manter atualizado. Conheça os 10 melhores recursos do LinkedIn e se prepare para turbinar sua carreira!

1. Siga os influenciadores
Você já deve seguir algum influenciador, mas, se não o faz, deve começar. O próprio LinkedIn faz sugestões de pessoas influentes para você acompanhar, mas você pode procurar pessoas que te inspirem ou interessem.

Para ver as sugestões, clique em “Início” e depois em “Visualizar todas as recomendações”. Além das indicações de grandes influenciadores, você recebe dicas de tópicos que podem ser interessantes para você.

Não é à toa que esses profissionais são considerados influenciadores. O LinkedIn estimula que eles publiquem conteúdo exclusivo e de qualidade. Você recebe esse conteúdo no seu feed e ainda pode interagir, deixando seus comentários e contribuindo para os debates.

2. Escreva seus próprios artigos
Mesmo não sendo um influenciador, você pode criar conteúdo no LinkedIn. É um recurso muito produtivo que pode te ajudar a conquistar visibilidade, seguidores e construir um perfil ainda mais completo e interessante.

A dica para usar da melhor forma esse recurso é pesquisar sobre o assunto que deseja escrever. Se você já tiver na cabeça tudo o que pretende dividir no artigo, tudo bem, mas organize os pensamentos e estruture o texto. Atente-se à gramática e procure redigir de forma concisa, clara e coesa.

Está sem ideias? Leia bastante: notícias, artigos, discussões e as informações sobre suas áreas de interesse, além de atualidades.

3. Compartilhe seu conhecimento
Ainda não está preparado para desenvolver um artigo mais longo? Comece dividindo suas ideias sobre as novidades do seu setor, notícias, eventos, entre outros. Dos pequenos debates podem surgir ideias de pauta para que você consiga desenvolver em um texto mais elaborado.

4. Crie alertas de pesquisa
Quando você pesquisa uma vaga, existe a opção de salvar essa busca clicando em “Criar alerta de pesquisa”. Assim, quando surgir uma nova oportunidade de acordo com os filtros que você escolheu, uma notificação é enviada.

Outra vantagem desse recurso é que, quando você for pesquisar de novo, não é preciso preencher tudo mais uma vez, pois já fica tudo salvo.

5. Participe dos grupos 
Um recurso muito legal do LinkedIn são os grupos de discussão. Procure participar dos grupos de seu interesse e colabore ativamente. Além da possibilidade de conhecer muitos profissionais, você conquista credibilidade e se conecta de verdade.

Também é uma excelente oportunidade para se atualizar na sua área de atuação ou interesse, porque muitos eventos, como palestras, webinars e cursos, são discutidos e divulgados em grupos.

6. Controle as publicações na sua timeline
Você já reparou que, às vezes, sua linha do tempo parece estar repetitiva? Isso acontece porque a timeline está configurada para mostrar as publicações mais populares. No entanto, você pode mudar isso.

Abaixo do botão "Post", na página inicial, existe a opção "Classificar por". Clicando ali você pode mudar a classificação de "Populares" para "Recentes" e receber as atualizações em tempo real.


7. Utilize o recurso LinkedIn Learning
Para quem domina o inglês, o LinkedIn tem um dos seus recursos mais interessantes dos últimos tempos: a plataforma educacional Learning. São diversos cursos que conferem certificados gratuitamente, das mais diversas áreas. Especialistas das áreas de tecnologia, negócios, marketing e muitos mais ministram as aulas em vídeos.
3
O detalhe é que o Learning só está disponível na modalidade premium do site. Se você ainda não pode pagar pela assinatura mensal do LinkedIn, nossa dica é experimentar os 30 dias grátis. Vale a pena explorar os recursos pagos, ainda que na degustação gratuita, e já explicamos o porquê.


8. Experimente o período de teste gratuito
Já mencionamos a plataforma Linkedin Learning, mas você tem outras vantagens ao testar a modalidade premium. Entre elas, se destacar ao entrar em contato com recrutadores e mandar mensagens diretas aos anunciantes de vagas. Você também pode se comparar a outros candidatos quando visualizar uma vaga e receber estatísticas sobre ela.

9. Acompanhe o desempenho das suas postagens
Depois de seguir nossa recomendação de escrever artigos, veja a análise do desempenho deles. O analytics dos seus artigos mostra quem visualizou o texto, os cargos, a localização, entre outras informações. Dessa forma, você fica sabendo mais sobre o público que se interessa pelas suas ideias e ganha mais inspiração para seguir contribuindo com seus pontos de vista.

10. Conecte-se e converse com mais pessoas
O LinkedIn não recomenda que você adicione pessoas aleatoriamente se você não as conhece. No entanto, não existe regra que o impeça de começar uma boa conversa. Procure pessoas que dividem os mesmos interesses, pesquise projetos, se envolva. De uma simples conexão podem nascer ideias criativas e parcerias duradouras.
Pronto para usar os recursos do LinkedIn como um verdadeiro profissional?

Viu como o LinkedIn pode ir muito além de ser apenas um banco de vagas? O profissional que souber explorar o maior número possível de recursos da rede só pode se dar muito bem. Coloque essas ideias em prática e divida com a gente suas experiências!
Fonte: Tecmundo

O cantor baiano Léo Santana e a dançarina Lorena Improta terminaram o noivado nesta sexta-feira (8). O término foi confirmado pela assessoria do cantor, que alegou "incompatibilidade de agendas".

Os dois artistas começaram a namorar em janeiro deste ano. Em agosto, eles anunciaram o noivado.  Léo segue com uma agenda cheia de shows até o carnaval. Na última segunda-feira, ele gravou um clipe em Fortaleza com Wesley Safadão.

Lorena Improta usou seu perfil no Instragram para falar sobre o fim do relacionamento. Em vídeos publicados neste sábado (9), no Stories, a ex-bailarina do Faustão acalmou os fãs dizendo que estava bem e revelou que a decisão pelo do relacionamento não partiu dela.


“Eu conto praticamente tudo da minha vida. Como o meu relacionamento com o Léo foi muito exposto, então, acho muita hipocrisia fingir que nada está acontecendo e não dar satisfação. O Léo já falou aí na imprensa. Infelizmente, não foi uma decisão minha, mas vida que segue…É entregar nas mãos de Deus”, disse Lorena.

Lorena justificou que precisou de um tempo para digerir a notícia do término.”Estou bem, gente. Calma, vocês estão sofrendo por minha causa, não façam isso. Quero ver vocês felizes. Não é porque eu sumi que eu estou morrendo. A gente precisa de um tempo e ontem foi a minha folga”, explicou.
Lorena usou as redes sociais para se pronunciar
Fonte: R7.com

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.