Inflação no México atinge maior nível em mais de 20 anos

 





Índice acumulada em 12 meses sobe de 6,24% em outubro para 7,37% em novembro, maior patamar desde janeiro de 2001


A inflação no México variou 1,13% em novembro deste ano na comparação com o mês anterior. Com isso, o valor acumulado em 12 meses passou de 6,24% em outubro para 7,37% em novembro. A saber, esse é o maior patamar da taxa inflacionária no país desde janeiro de 2001, ou seja, em quase 21 anos.


A agência nacional de estatísticas do México, Inegi, divulgou os dados nesta quinta-feira (9). Aliás, a elevação da inflação na segunda maior economia da América Latina superou as projeções de analistas, que acreditavam em um aumento para 7,22% em novembro.


Vale destacar que o resultado registrado no mês passado reforça as apostas sobre novas elevações dos juros básicos no México. Em resumo, o banco central mexicano deverá se reunir na próxima semana. E a disparada da inflação fortalece o sentimento de juros mais elevados no país.


A propósito, os bancos centrais de diversos países estão elevando os juros básicos para tentar conter a inflação. Em suma, a pandemia da Covid-19 afetou a cadeia produtiva de diversos setores, além de ter enfraquecido a demanda. Contudo, o avanço da vacinação contra a Covid-19 fortalece cada vez mais a demanda global, mas a oferta não está conseguindo acompanhar esse ritmo.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem