Prefeito de Capitólio diz que nunca houve monitoramento geológico em área de tragédia

 





Cristiano Geraldo da Silva (PP-MG), prefeito de Capitólio (MG), revelou que a área onde houve o desmoronamento de rochas que matou dez pessoas nunca passou por monitoramento geológico. Segundo o G1, o gestor afirmou que no local era feito apenas observação para prevenir as trombas d’água que costumam ocorrer nas cachoeiras e rios da região.

“Como foi colocado, estamos fazendo um trabalho desde o ano passado sobre trombas d’água, para mobilizar os empresários, os turistas, para que ficassem atentos a elas. Queda de paredão nunca tivemos. É uma injustiça querer cobrar isso. Meu pai vive aqui, tem 76 anos, nunca viu isso. Foi uma fatalidade”, declarou o prefeito.

Cristiano Geraldo da Silva disse ainda que foi marcada uma reunião entre a prefeitura, a Marinha, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, nesta segunda-feira (10), para discutir as medidas que serão tomadas na região para evitar que novos incidentes ocorram no local.

Segundo o site, a Defesa Civil e a Polícia Civil de Minas Gerais não comentaram sobre responsabilização da tragédia.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem