Brasil 'amanhecerá em guerra' se Lula for eleito, diz Ciro

 



Com menos de 10% das intenções de votos nas pesquisas que medem a preferência dos brasileiros pelos pré-candidatos à presidência da República, Ciro Gomes (PDT) disse se sentir humilhado com comentários de que ele não tem chances de vencer o pleito que tem primeiro turno programado para 2 de outubro.

No entanto, o pré-candidato do PDT, que é o terceiro colocado nas pesquisas, disse que não pretende deixar a disputa. “Fui candidato já três vezes. Se eu não tivesse muito amor ao Brasil, colocava minha viola no saco e ia cuidar da minha vida. Mas estou aqui agarrado, feliz da vida. Todo mundo me humilha. 'Ah, não tem chance'. Deixa o povo votar”, desabafou Ciro Gomes em entrevista ao podcast Flow nesta segunda-feira, 6.

"Imagina meu sentimento pessoal? 64 anos de idade, 40 dedicado a isso. Não tenho nada, empresa, coisa nenhuma, só dedicado a isso. Acordo de madrugada, durmo tarde, faço pelos cotovelos, ouço as agressões mais insultuosas, tipo lá o Duvivier, o cara vai lá no programa com maior leviandade...", continuou.

Ciro Gomes disse ainda na entrevista que nem Lula (PT), nem Bolsonaro (PL) poderão “pacificar o país” em caso de vitória na eleição.

"Você acha que se o Lula for eleito o país vai amanhecer mais ou menos pacificado? [Vai amanhecer...] em guerra. Você acha que o Lula tem condições de oferecer uma agenda de enfrentamento à corrupção? Ele não tem condição nem de falar no assunto", pontuou.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem