Ações da Magazine Luíza despencam 76% em 1 ano

 




Ações da empresa voltaram a apresentar forte retração nesta semana


No que diz respeito às ações do Magazine Luiza na Bolsa de Valores do Brasil, a B3, o ano de 2021 tem sido bem ruim para o gigante varejista, e esta semana representa um termômetro fiel do que a empresa tem vivido desde o fim de 2020 no mercado acionário. Com quedas de 11,79% na quarta-feira (1°) e 1,74% na quinta-feira (2), os papéis já tem retração de 76% desde novembro de 2020.


Para efeito de comparação, no fechamento do pregão desta quinta as ações eram comercializadas a R$ 6,76, quantia mais de R$ 20 menor que o patamar registrado no dia 6 de novembro de 2020, quando os papéis da varejista valiam R$ 27,34, melhor resultado desde que a empresa ingressou no mercado de ações.


Na quarta-feira (1°), as ações da Magalu, como a empresa é apelidada, já tinham caído 11,79%, com cotação de R$ 6,88 contra R$ 7,80 da véspera. Ao site Metrópoles, o sócio e assessor de renda variável da Acqua-Vero, Gustavo Gomes, afirmou que a empresa tem sido impactada pela alta da taxa de juros e pela perda do poder de compra das classes C e D.


– As pessoas acabaram fazendo dívidas e o impacto tem sido maior nos meses de outubro e novembro deste ano. Com os juros altos, é hora de segurar para o consumidor – apontou.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem