Livro que promove o ateísmo é lançado com grande fanfarra na China

 




“Os Princípios do Ateísmo Científico”, de Li Shen, afirma que tanto a inexistência de Deus quanto o fato de que a religião é prejudicial são verdades científicas indiscutíveis.
O livro “Os Princípios do Ateísmo Chinês”, de Li Shen.

Um novo livro que promove o ateísmo está sendo promovido nas faculdades e nos quadros do PCC como parte da campanha que implementa as decisões da Conferência Nacional sobre Trabalho Relacionado a Assuntos Religiosos de dezembro de 2021, onde o livro foi apresentado pela primeira vez. O livro é promovido como uma resposta às instruções de http://Xi Jinping naquela conferência de que as visões de Marx sobre religião deveriam ser estudadas mais profundamente dentro do PCC .

O livro se chama “Os Princípios do Ateísmo Científico”. É um texto enorme de cerca de 400.000 caracteres chineses, publicado pela Bashu Publishing House, e nos dizem que levou seis anos para ser feito.

Seu autor é Li Shen, conhecido por sua “História da Ciência Chinesa” e “História do Ateísmo Chinês”, onde promoveu a teoria de Xi Jinping de que a cultura chinesa sempre foi intrinsecamente não religiosa.

Li Shen nasceu em 1946. Depois de obter seu doutorado, trabalhou no Instituto de Religiões Mundiais da Academia Chinesa de Ciências Sociais e foi diretor de seu Escritório de Pesquisa do Confucionismo. Ele então se tornou professor do Departamento de Filosofia da Universidade Normal de Xangai e vice-presidente da Sociedade Chinesa de Ateísmo. Ele também é membro do comitê acadêmico da Federação Confucionista Internacional e, nessa qualidade, promove a teoria, também apoiada pelo PCC , de que o confucionismo é essencialmente uma forma de ateísmo.

O livro inclui quatro capítulos, “O que é Deus”, “Prova da Não-Existência de Deus”, “Os Deuses e Seus Efeitos” e “A Teoria Religiosa e a Política Religiosa do Partido Comunista”. Há também um apêndice sobre os “Principais Conhecimentos Teológicos e Críticas à Religião”. Zhu Xiaoming, ex-secretário do Grupo de Liderança do PCC do Centro de Pesquisa de Tibetologia da China, escreveu um prefácio.

O livro argumenta que tanto a inexistência de Deus quanto o efeito nocivo da religião foram demonstrados cientificamente, através de um processo em funcionamento tanto na filosofia ocidental quanto na chinesa, que culminou nas demonstrações definitivas de Karl Marx e do PCC na China.

A promoção do livro de Li confirma a mudança nas instituições chinesas que lidam com religião e departamentos de religião nas universidades de um estudo um pouco mais “neutro” de questões religiosas para propaganda do ateísmo marxista. Essa virada pode ser atribuída a discursos e instruções do próprio Xi Jinping .

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem