Wagner indica que desde o princípio ele trabalhou com perda do PP




Nas reuniões que teve com as lideranças petistas para justificar a decisão de não concorrer de novo ao governo, há cerca de três semanas, o senador Jaques Wagner, pelo menos em duas oportunidades, fez o mesmo vaticínio.

Disse que o grupo deveria se preparar para perder um aliado no processo de construção da nova chapa, no momento em que ele não a encabeçasse mais.

Os interlocutores prontamente associaram o alerta ao vice-governador João Leão (PP), de quem o senador petista puxou o tapete ao afirmar que Rui não seria mais candidato ao Senado.



E chegaram à conclusão de que Wagner havia precificado a perda do grupo de Leão, passando a ideia de que seria facilmente superada e dando a eles liberdade para avançar com a escolha, inclusive, de um candidato do PT, como ocorreu.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem