Barreiras é a capital do Oeste da Bahia e vive uma grande expansão urbana

 




Barreiras, Oeste da Bahia, é marcada pelas diversas relações sociais e de interesses antagônicas, regadas por uma série de elementos sociais, políticos, econômicos, ambientais e culturais, que influenciam diretamente na relação do homem com a natureza. A expansão urbana do município de Barreiras é impulsionada pelo agronegócio, muito recentemente pelos serviços e o comércio, o que gerou ampliação significativa da área urbana.

A dinâmica em atrair novos empreendimentos e fortalecer ainda mais o comércio no município, com foco na geração de emprego e renda, faz de Barreiras protagonista regional e cidade destaque no Nordeste.

Em dezembro de 2020 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma pesquisa que colocou Barreiras entre as 15 maiores economias do interior do Nordeste, em 2018. Já em 2021, estudo da Consultoria Urban Systems publicado pela revista Exame, destacou Barreiras como a 18ª melhor cidade entre as 100 melhores do Brasil para fazer negócios e investir no mercado imobiliário.

Recentemente, o que se tem visto na cidade é que o comércio não para de crescer e atrair novos investimentos, empresários garantem que estão motivados pelas mudanças, melhoria na qualidade de vida e investimentos na infraestrutura da Capital do Oeste.

Devido ao aumento da população nas grandes cidades está associado ao êxodo rural, ou seja, ao fato de a população deixar a zona rural para dirigir-se aos centros urbanos, principalmente em busca de novas oportunidades de emprego, Barreiras tem vivenciado um momento de grande expansão urbana que a coloca em posição de destaque em relação as cidades circunvizinhas.

Nesse c ontexto, podemos destacar seus principais vetores de crescimento nesse processo de urbanização. Mediante estudos feitos em cada vetor de crescimento de Barreiras, é notório que o vetor leste foi a região da cidade que obteve maior expansão, sobretudo capitaneada pelos loteamentos, nesse sentido os serviços e equipamentos urbanos devem acompanhar o crescimento da cidade nestas novas áreas de ocupação.

Contudo, sobre as construções de habitações nas encostas nos novos loteamentos, o munícipio terá que traçar estratégias e ações para diminuir os impactos que serão causados. Assim como o vetor leste, a região norte da cidade também possui ampla expansão pelos novos loteamentos e moradias populares, que precisam da ampliação dos serviços e equipamentos urbanos, mas, para além disso, cabe destacar estes cidadãos estão ás margens do contorno viário, o poder público municipal deve elaborar um plano de gerenciamento de riscos e planejar um anel viário para diminuir os riscos de acidentes ampliados existentes nesta área.

A ocupação do setor Norte da cidade ocorre às margens da BR 135, ancorada nos loteamentos, moradias populares (do Programa do Governo Federal Minha Casa Minha Vida, como o Residencial São Francisco e Arboreto I e II) e o contorno viário. Assim como o vetor leste, o vetor norte ainda carece de serviços e equipamentos urbanos, dificultando o cotidiano dos moradores daquela região.

Desta forma, o munícipio ainda apresenta problemas de ordenamento e infraestrutura urbana que foram geradas pela ausência de bases legais atualizadas. Contudo, para que a cidade ideal se materialize não será necessário apenas planejar, mas é indispensável à disponibilidade política e a participação social para a construção de cidades que tenha como papel atender as demandas sociais e a distribuição justa e equilibrada dos recursos naturais.



falabarreiras 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem